Digestores da ETAR de Ílhavo em manutenção

Intervenção, de 592 mil euros, consiste na reabilitação do interior dos digestores com material plástico, aumentando resiliência destes órgãos.

A Águas do Centro Litoral assinou o contrato da Empreitada de Reabilitação dos Digestores da ETAR de Ílhavo com a empresa José Marques Grácio, S.A., tendo a fiscalização da obra sendo consignada à empresa RIOBOCO – Serviços Gerais, Engenharia e Manutenção, S.A..

Esta obra cujo investimento representa cerca de 592 mil euros tem um prazo de execução de um ano e visa criar maior resistência aos dois digestores da estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Ílhavo. Trata-se de uma intervenção de reabilitação do interior, através da aplicação do revestimento em chapa termoplástica para proteção de betão, enquadrando-se na política da AdCL de reabilitação dos seus ativos críticos em funcionamento, designadamente através da implementação de soluções duradouras e que minimizem intervenções futuras.

Com o tempo de utilização e, considerando as características do afluente que chega à ETAR todos os dias e que conduz a um desgaste mais intenso do que o habitual em equipamentos do mesmo tipo noutras atividades, todos os equipamentos instalados necessitam de manutenção. Neste quadro, a AdCL tem previstos três tipos principais: investimento em novas infraestruturas e equipamentos; investimento na requalificação e melhoria do existente; e investimento de manutenção.

Neste contexto, e após inspeção dos dois digestores da ETAR de Ílhavo verificou-se alguma degradação dos mesmos, devida à agressividade da atmosfera no interior do órgão, relacionada com elevado concentração de H2S ( gás sulfídrico) em permanência. Os dois equipamentos, em funcionamento desde 2002, aquando a construção da ETAR, estão na origem da produção de energia em ETAR, assumindo, assim, especial importância neste processo. O que acontece é um processo biológico, que ocorre nos digestores, em condições de ausência de oxigénio e a cerca de 35ºC, se dá a degradação da matéria orgânica da lama, com formação de biogás armazenado em gasómetro. Posteriormente, o biogás produzido na digestão anaeróbia, rico em metano, é queimado numa unidade de cogeração para produção de eletricidade e calor. A eletricidade produzida é vendida para a rede pública e o calor aproveitado para aquecimento das lamas na digestão.

A ETAR de Ílhavo está preparada para receber e tratar os efluentes provenientes dos concelhos de Aveiro (parte), Cantanhede, Ílhavo, Mira e Vagos, representando 159 mil habitantes-equivalentes e cerca de 39.278 m3­/ dia.

A solução de tratamento desta ETAR baseia-se num sistema de tratamento secundário, adotando um processo de tratamento biológico com base no sistema de lamas ativadas em regime de arejamento prolongado, com remoção da matéria orgânica. Através de processos físicos e biológicos, são removidos da água os detritos sólidos e a matéria orgânica dissolvida.

Posteriormente, os subprodutos orgânicos resultantes do tratamento das águas residuais são sujeitos a tratamento, com vista à redução do seu volume e à produção de biogás.

No final do processo de tratamento, o efluente tratado é devolvido ao meio recetor (Oceano Atlântico), através do Exutor Submarino de S. Jacinto.

Este investimento, agora consignado, está em alinhamento com a missão e visão do negócio da AdCL, que visam, essencialmente, a preservação do meio ambiente e da saúde pública.

Mais saneamento no município da Lousã

A Águas do Centro Litoral (AdCL) consignou, hoje, a Empreitada de Execução do Sistema Elevatório e Emissários de Serpins/Rodas (Lote A) e Casal de Ermio (Lote B). Uma empreitada composta por dois (2) lotes, cujo investimento ronda os 1,5 milhões de euros e que inclui a construção de uma nova rede de saneamento nas freguesias de Serpins e de Foz de Arouce e Casal de Ermio.

A empreitada tem um prazo de execução de um ano, e pretende, no caso do Lote A, drenar o efluente das povoações de Serpins (parte), Tojal, Relvas, Outeiro, Cova do Barro e Moinhos, representando mais de 600 habitantes equivalentes. Um investimento de cerca de 575 mil euros que inclui a construção de um emissário e de um sistema elevatório ao longo do rio Ceira, com cerca de 2,5 km de extensão, para a ETAR de Serpins-Rodas. Esta ETAR, construída e inaugurada pela AdCL em 2008, já se encontra, atualmente, a receber e a tratar o efluente de uma parte da Freguesia de Serpins, representando 2.500 habitantes-equivalentes.

Já o Lote B, em Casal de Ermio, cujo investimento ronda os 800 mil euros, vai recolher o efluente de cerca de 1.300 habitantes equivalentes das povoações de Casal de Ermio, Vale Sancho, Ceira dos Vales, Vale Escuro, Ponte e Videira para a ETAR de Semide-Poisão. A obra inclui a construção de aproximadamente 4,9 km de rede nova, tais com emissários, duas estações elevatórias intermédias e condutas elevatórias. A ETAR de Semide-Poisão, em funcionamento desde 2015, foi dimensionada com capacidade para receber este acréscimo de caudal, através da ligação ao emissário já construído pela AdCL, em Foz de Arouce, conducente ao sistema elevatório de Foz de Arouce.

A AdCL consignou esta empreitada à MARSILOP, Sociedade de Empreitadas, S.A.. Já a fiscalização dos trabalhos, cujo investimento é de 145 mil euros, está a cargo da empresa RIOBOCO, Serviços Gerais, Engenharia e Manutenção, S.A..

Duas empreitadas que vêm dar resposta às necessidades de resolução dos problemas de drenagem e tratamento das águas residuais existentes no município da Lousã, nomeadamente nas localidades de Casal de Ermio e Serpins/ Rodas, indo ao encontro do 6.º ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que visa “garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água potável e do saneamento para todos”.

AdCL reforça presença nas redes sociais

Empresa reforça presença institucional no Facebook e projeta conteúdos tendo por objetivo a proximidade junto dos demais stakeholders presentes nas redes sociais

AdCL reformula o seu posicionamento estratégico no mercado digital, pautado pela sua original diversidade e eficiência, potencializando a comunicação organizacional.

Considerando a atual intensificação da presença da sociedade no mundo digital, ativada pelo isolamento exortado pela pandemia por COVID-19, a AdCL convergiu a página de Facebook “O cano é que Paga” na sua página institucional “Águas do Centro Litoral”.

Com histórico de presença nas redes sociais, entre elas, o Facebook, a reformulação da estratégia comunicativa da empresa visou a aproximação e identificação dos seus seguidores com o trabalho preconizado no âmbito da sua missão e visão corporativa.

Além de reforçar a comunicação e educação ambiental, aliando a vertente de abastecimento, através da campanha de sensibilização “Valor da Água”, é intenção da AdCL dar a conhecer o trabalho realizado diariamente na sua área de intervenção. Na persecução deste objetivo, assume importância a comunicação de investimentos, a atualidade do setor ou a celebração de efemérides.

A reformulação da estratégia de comunicação, considerando a atual realidade e a aposta no mercado digital, visa a criação de valor, junto dos demais stakeholders. Deste modo, a difusão de uma comunicação multidimensional, permitirá aos seguidores da AdCL um acompanhamento próximo da atividade da empresa na sua área de intervenção.

Acresce ainda a divulgação de recursos audiovisuais, num retrato efetivo do trabalho preconizado diariamente, paralelamente à intenção de promover webinares e diretos no canal de Youtube institucional da AdCL, permitindo um acompanhamento contínuo por parte dos seguidores, assim como de todos os navegadores digitais

AdCL reforça o Valor da Água através de campanha digital

Pelo uso da água com um pingo de consciência, no Dia Nacional da Água, a AdCL envolveu os seus acionistas na realização de uma campanha de comunicação e educação ambiental no digital, potenciando as suas redes sociais.

Sensibilizar para os benefícios, intangíveis, da água da torneira aliados às boas práticas no seu uso eficiente, lideraram o mote da campanha digital promovida, no Facebook, pela AdCL em parceria com os seus acionistas.

Esta iniciativa, composta por oito publicações, segmentadas para os utilizadores do serviço, assim como todos os navegadores digitais, promovida ao longo de uma semana, incitou milhares de internautas à informação, consciencialização e preocupação com o planeta, com a sustentabilidade e com os recursos hídricos.

Para quem ainda não conhece a empresa, a AdCL apresentou os serviços de qualidades prestados que permitem, por sua vez, aos municípios assegurar a distribuição desta água de excelência ao consumidor final.

A campanha promovida permitiu retratar o investimento contínuo ao nível do abastecimento da água para consumo humano, na eficiência de equipamentos e infraestruturas, em prol da qualidade de vida das populações, da proteção dos ecossistemas e do desenvolvimento socioeconómico das regiões servidas pela AdCL.

Tudo em prol de uma água de qualidade e em quantidade. Esta campanha permitiu ainda potenciar algumas das suas características ímpares que a distinguem de todas as outras, uma água segura, acessível, ecológica e económica. Desta feita, não existem dúvidas de que a água da torneira é um bem de primeira!

Incentivar à alteração de comportamentos em prol da valorização da água só é possível retratando a problemática, o desperdício de inúmeros litros de água, em especial nas tarefas de higiene pessoal, em cada uma utilizações do quotidiano. Visando a mudança de comportamentos, esta campanha balizou a explicação de pequenos gestos em prol da gestão eficiente da água, apelando à consciencialização de cada utilizador.

Integrar o uso eficiente e racional da água, de forma, permanente revela-se imperativo face ao quadro de escassez de água acentuado em alguns recursos hídricos, ao longo do território nacional.

“Água com um Pingo de Consciência” é o mote da campanha de sensibilização promovida pelo grupo AdP, em 2018, com o objetivo de promover a utilização eficiente da água através da consciencialização para o seu valor em todas as dimensões.

Pela sustentabilidade do futuro, valorizemos o presente!

AdCL celebra Dia Nacional da Água em simbiose com natureza

No âmbito das comemorações do Dia Nacional da Água, a AdCL promoveu o uso da água com um pingo de consciência, no passado dia 1 de outubro, no Município da Mealhada, em harmonia com a natureza.

Pelo expoente do Valor da Água, cerca de uma centena de crianças iniciaram o dia com um peddy paper ambiental dedicado ao conhecimento centrado na origem do abastecimento de água para consumo humano, disponível 24 horas por dia, durante todo o ano, num simples gesto de abrir a torneira.

Através desta iniciativa, a empresa sensibilizou os mais jovens para o valor da água e a necessidade de adoção de comportamentos sustentáveis, no que se refere ao seu uso eficiente. Este desafio intrínseco ao conhecimento pelo mundo da água, composto por diversos pontos de atividade, marca o retomar das ações de educação ambiental promovidas na área de intervenção da empresa.

Esta atividade, com paragem obrigatória numa prova de água da torneira, simples ou aromatizada, permitiu ainda consciencializar os presentes para o uso eficiente deste recurso precioso para o futuro de todos. Na adoção de boas práticas, a AdCL deu o primeiro passo, atribuindo a cada participante um cantil de água, em alumínio, incentivando os mais jovens a descontinuar a utilização do plástico, de uso único, promovendo ainda os benefícios da água da torneira, segura, acessível, económica e ecológica.

Aposta na energia 100% renovável

AdCL será energeticamente autossustentável até 2030 através da produção de energia 100% renovável e da adoção de medidas de eficiência energética, num investimento de mais de 8,6 milhões de euros.

Esta aposta é partilhada por todas as empresas do Grupo AdP – Águas de Portugal no âmbito do Programa de Neutralidade Energética ZERO, através do qual se propõem atingir a neutralidade energética no prazo de 10 anos, assente numa estratégia continuada de redução de consumos e de aumento da produção própria de energia verde.

A Águas do Centro Litoral (AdCL) vai concretizar este programa através do aumento da produção de energia a partir de recursos disponíveis nas suas instalações, como por exemplo o biogás das Estações de Tratamento das Águas Residuais (ETAR), mas também de instalação de fotovoltaicos, num mix energético integrado que visará a maximização do autoconsumo e o storage de energia.

Neste sentido está prevista a beneficiação e instalação de centrais de cogeração a partir do biogás com uma produção anual estimada de 5 GWh/ano, bem como a instalação de centrais fotovoltaicas em várias infraestruturas, com uma potência total de 2,8 MW, estimando-se uma produção de 4,7 GWh/ano de energia 100% renovável

A maximização da energia produzida para autoconsumo obrigará a alterações no padrão da operação, incorporando a produção e armazenamento de energia no core da atividade de abastecimento, saneamento e promovendo a reengenharia de sistemas e processos para aumento de eficiência. Implicará ainda a aposta na digitalização e na qualificação dos trabalhadores, sem esquecer o relevante contributo para o desenvolvimento regional e social.

No que respeita as medidas de eficiência energética, é objetivo da AdCL reduzir 7,2 GWh/ano nas suas atividades, correspondendo a uma diminuição de cerca de dez por cento face aos consumos atuais. O investimento estimado para as ações de eficiência energética ronda os 3,9 milhões de euros.

Programa de Neutralidade Energética ZERO do Grupo AdP – Águas de Portugal

O Grupo AdP – Águas de Portugal está a implementar um programa integrado que visa reduzir os consumos energéticos e aumentar fortemente a produção própria de energia 100% renovável, permitindo atingir a neutralidade energética em 2030.

O Programa de Neutralidade Energética ZERO envolve todas as empresas do Grupo AdP, incluindo as atividades desenvolvidas a nível internacional. Com um investimento total de cerca de 370 milhões de euros, é expectável que este Programa neutralize o equivalente a 746 GWh – o correspondente ao consumo energético estimado para 2030 – representando uma neutralidade energética de 105,3% e uma neutralidade carbónica equivalente.

A nível ambiental salienta-se que, em 2030, o Programa de Neutralidade permitirá eliminar cerca de 205 mil ton/ano de emissões de CO2, representando uma poupança, para Portugal, de cerca de 5,3 milhões de euros por ano (a preços atuais).

Com o Programa ZERO, o Grupo AdP posiciona-se como o primeiro grupo de dimensão internacional a atingir a neutralidade energética em todas as suas atividades nacionais e internacionais a nível mundial.

Exutores submarinos em manutenção

Águas do Centro Litoral investe mais de um milhão de euros na manutenção dos emissários submarinos de Espinho e São Jacinto

A Águas do Centro Litoral consignou, este mês de julho, a empreitada de “emissários submarinos de Espinho e São Jacinto – Adaptação dos Difusores e Renovação da Proteção Catódica”, à empresa Xavisub – Mergulhadores Profissionais, Lda..

Após mais de duas décadas desde a construção dos dois exutores submarinos, ambas as infraestruturas têm sofrido a influência do ambiente salino onde se inserem, desgaste natural, e ações acidentais, nomeadamente através da utilização de redes de pesca, sendo necessária a sua manutenção.

Esta empreitada de mais de um milhão de euros pretende, assim, melhorar o desempenho hidráulico dos emissários – por meio da abertura e fecho de risers e orifícios –, repor os emissários de proteção catódica e substituir os elementos metálicos de fixação com níveis de corrosão elevada.

Um investimento de manutenção da boa exploração dos exutores submarinos, que é, também, um contributo para a qualidade das águas balneares e para a classificação das praias com Bandeira Azul.

Os emissários submarinos de Espinho e São Jacinto, construídos no final do século XX, vieram contribuir para a despoluição da ria de Aveiro e da barrinha de Esmoriz, sendo fundamental a sua manutenção. Estes dois exutores descarregam o efluente tratado nas estações de tratamento de águas residuais (ETAR), que cumpre as normas definidas pela APA e promove a boa qualidade do ambiente marinho. O desgaste sentido ao longo dos anos e a evolução dos caudais descarregados levam, assim, à necessidade de intervir nestas infraestruturas essenciais ao meio ambiente e aos municípios servidos.

Recorde-se que o emissário submarino de S. Jacinto, construído pela ex-SIMRIA (hoje Águas do Centro Litoral) em 1998, drena o efluente rejeitado pelas ETAR de Cacia, Ílhavo e S. Jacinto, assim como os da Portucel, e serve os concelhos de Águeda, Albergaria-a-Velha, Aveiro, Cantanhede, Estarreja, Ílhavo, Mira, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ovar, Vagos e Santa Maria da Feira.

Este emissário tem o comprimento total de 3.378 m e desenvolve-se entre a câmara de carga (situada em São Jacinto) e a batimétrica -15,0 m(ZH) no Oceano Atlântico. O emissário é constituído por um tubo de PEAD com diâmetro exterior de 1.600 mm.

Já o emissário submarino de Espinho, construído pela Câmara Municipal de Espinho nos finais da década de 80 do século XX, drena o efluente rejeitado pela estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Espinho, que serve o município de Espinho e parte dos concelhos de Santa Maria da Feira e Ovar.

Este emissário tem o comprimento total de 2.000 metros e desenvolve-se entre a câmara de carga na ETAR de Espinho e a batimétrica -9,0 m(ZH) no Oceano Atlântico. O emissário é constituído por um tubo de PEAD com diâmetro externo de 800 mm.

A Águas do Centro Litoral é responsável pela recolha, transporte e tratamento de águas residuais e trabalha diariamente em prol de um ambiente melhor. Nesse sentido, monitoriza todo o processo de tratamento das águas residuais até à devolução no meio hídrico, acompanhando o desgaste dos equipamentos instalados, tendo previsto investimentos de manutenção dos equipamentos existentes e de substituição de equipamentos.

Esta empreitada de manutenção dos exutores submarinos é um desses investimentos, em alinhamento com a missão e visão do negócio da AdCL, que visam, essencialmente, a preservação do meio ambiente e da saúde pública.

Requalificação da ETAR das Olhalvas em estudo

Instituto Politécnico de Leiria vai estudar requalificação tecnológica da ETAR das Olhalvas

A Águas do Centro Litoral, a Câmara Municipal de Leiria e o Instituto Politécnico de Leiria assinaram, hoje, dia 22 de julho, um Protocolo de cooperação para o estudo de avaliação da requalificação tecnológica da ETAR das Olhalvas.

Com este protocolo, que tem um prazo de execução de quatro (4) meses, a Águas do Centro Litoral (AdCL) pretende recorrer à capacidade técnico-científica instalada no Politécnico de Leiria para a prestação de Assessoria Técnica e Investigação Científica na definição das melhores metodologias e estratégias visando a requalificação/ modernização da estação de tratamento de águas residuais (ETAR) das Olhalvas, a mitigação do impacto que esta infraestrutura ainda tem no contexto em que se insere e as possibilidades de reutilização de parte da água tratada desta unidade, numa perspetiva de uso racional da água.

O Município, o Politécnico de Leiria e a Águas do Centro Litoral no âmbito das suas atividades, propõem-se estabelecer formas de cooperação, tendo em vista o aproveitamento recíproco das suas potencialidades científicas, técnicas e humanas, de modo a que as relações de intercâmbio daí resultantes permitam uma conjugação de ações que originem benefícios para ambas as partes.

A AdCL é uma empresa de referência no setor da água, em termos de qualidade do serviço prestado, e um parceiro ativo para o desenvolvimento sustentável da Região Centro Litoral, tendo a sua atividade contribuído significativamente nas últimas décadas para uma melhor qualidade dos recursos hídricos da região, permitindo que os rios, as ribeiras, as praias e o mar estejam hoje mais limpos. Nesse sentido, e com vista à procura contínua de melhoria dos seus processos visando a prestação de um serviço de excelência, atuando de forma responsável na defesa e proteção do meio ambiente, recorre assim ao know-how do Politécnico de Leiria, que tem-se afirmado nos últimos anos como uma instituição focada na Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&D+i), tendo por marca identitária um Ecossistema de I&D+i orientado primordialmente para o tecido económico e social da região onde está inserido, não perdendo, contudo, o foco global que se pretende para a I&D+i.

O estudo a desenvolver tem quatro objetivos:

  1. Investigar, identificar e definir as melhores opções para a requalificação/ modernização da ETAR das Olhalvas para a adaptar aos atuais condicionalismos regulamentares;
  2. Investigar e propor medidas de redução do impacto que esta infraestrutura tem no contexto urbano e bacia hidrográfica em que se insere;
  3. Investigar e identificar as melhores possibilidades de reutilização do efluente desta unidade numa perspetiva de uso racional da água, alinhando o papel destas infraestruturas com os novos paradigmas ambientais;
  4. Desenhar um plano que permita comunicar às populações o papel destas infraestruturas e a sua importância para a qualidade de vida de todos.

A AdCL disponibilizará à equipa técnica responsável pelo estudo todo o apoio necessário à realização dos trabalhos, incluindo todos os elementos de que dispõe relativamente ao funcionamento da ETAR, nomeadamente os dados de monitorização do seu funcionamento, dos caudais afluentes e das suas características, dos caudais descarregados no meio e das suas características, do território envolvente ou outros que se venham a revelar importantes, designadamente estudos ou análises anteriores sobre o funcionamento, manutenção e obras de melhoramento que a ETAR tenha sofrido.

A Águas do Centro Litoral, enquanto entidade gestora do ciclo urbano da água, na região Centro Litoral, reconhece a importância do fortalecimento de parcerias de colaboração que permitam acompanhar as mudanças ecológicas e tecnológicas na sociedade e alcançar os seus objetivos de preservação do meio ambiente, em particular do rio Lis.

AdCL lança canal YouTube

Nova oferta de educação ambiental, destinada a todos, permite (re)descobrir a missão diária dos profissionais da empresa e as boas práticas na gestão eficiente do ciclo urbano da Água

A Águas do Centro Litoral (AdCL), enquanto entidade gestora do Ciclo Urbano da Água na região Centro Litoral de Portugal, que vai de Espinho a Porto de Mós, reforça a sua presença no digital, através da apresentação de um canal de YouTube.

Por ocasião do Dia Mundial do Ambiente, a AdCL apresenta, em vídeo, o trabalho diário da Empresa, a sua missão e responsabilidade diária de tratar água para consumo humano e água residual em prol do ambiente. “Captamos, tratamos [água para consumo humano], recebemos [águas residuais], tratamos/ transformamos [água residual e lamas] e devolvemos ao meio hídrico”… cinco palavras que definem a missão da Águas do Centro Litoral. [veja o vídeo através deste link: https://www.youtube.com/watch?v=ccpByq8TMgM&t=7s]

A pandemia COVID-19, que nos afeta a todos pessoal e profissionalmente, é um enorme desafio à resiliência de empresas e organizações, em especial àquelas que, como a Águas do Centro Litoral, desenvolvem atividades essenciais não passíveis de serem suspensas ou interrompidas.

Neste contexto, a Águas do Centro Litoral além de garantir a segurança e a fiabilidade dos nossos serviços de abastecimento de água e tratamento de águas residuais, pretende manter a sua missão de “Comunicar para compreender, agir para mudar!”, através da educação ambiental. A apresentação do canal de Youtube acompanha a presença da AdCL nas redes sociais (Facebook e Instagram), e pretende ser um instrumento de criação de valor, permitindo o acesso a informação importante para a valorização da Água.

Com o canal de YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCMPTSmAKYi7RsfI8HpaWe7g/), a AdCL pretende oferecer uma solução educativa, em prol do ambiente, através da disponibilização de conteúdos pedagógicos alusivos ao abastecimento de água ao saneamento, (re)lembrando alguns gestos, simples, em prol de um uso eficiente.

No decorrer desta semana são apresentados alguns vídeos que permitem um olhar sob o trabalho desenvolvido diariamente pela empresa, muitas das vezes “invisível”, em prol de um objetivo comum: garantir que a água continua a ser fornecida de forma segura e em quantidade e que, depois de usada, esta água possa ser reutilizada ou devolvida aos rios e mar em condições ambientalmente seguras.

Este canal será composto por uma vasta oferta no âmbito da edução ambiental intergeracional, reforçando a oferta do programa educativo #estudoemcasa, dedicada ao público escolar, através da divulgação de vídeos inerentes à campanha de sensibilização “O Cano é Que Paga” e o “Valor da Água”, esta última, desenvolvida pelo Grupo Águas de Portugal.

Subscreva o canal YouTube “Águas do Centro Litoral”… clicando aqui: https://www.youtube.com/channel/UCMPTSmAKYi7RsfI8HpaWe7g/

Hoje é o Dia da Criança

Criança, natureza, água e família, a simbiose perfeita para um futuro sustentável

Por ocasião do Dia Mundial da criança, a AdCL recordou esta especial efeméride, onde cada um de nós, do mais pequeno ao mais adulto, recorda os momentos mais felizes da sua infância, entre eles, correr na natureza, saltar em cima do charco, brincar dentro de água, e crescer com horizonte na sustentabilidade do futuro que a todos pertence.

Recorrendo à simplicidade de uma experiência, sensibilizamos as crianças para a adoção de boas práticas no que respeita à utilização eficiente da água da torneira e da valorização dos recursos hídricos.

Mais informações sobre esta e outras iniciativas lúdico-pedagógicas, no website www.aguasdocentrolitoral.pt, na área “Educação Ambiental”, para os mais pequenos até aos mais adultos, em família, possam (re)descobrir o Ciclo Urbano da Água.

O Futuro depende de ti, Feliz Dia Mundial da Criança

AdCL entrega hotspots a 132 famílias da região

A pandemia COVID-19 continua a afetar-nos a todos e é um enorme desafio à resistência de empresas e organizações. A Águas do Centro Litoral (AdCL) continua a garantir as atividades essenciais não passíveis de serem suspensas ou interrompidas, e empenhada no cumprimento da missão de serviço público que nos está cometida. Contudo, e neste quadro de emergência nacional, está também disponível e alinhada com as necessidades do País e dos cidadãos, nomeadamente no que diz respeito à educação. Nesse sentido, e, num esforço conjunto com os seus municípios, com o objetivo de criar oportunidades para todos, a Águas do Centro Litoral disponibilizou hotspots, com acesso ilimitado à Internet, a 132 famílias de seis (6) municípios da área de intervenção da Empresa.

Com a implementação do ensino à distância, que se fará todo o terceiro período para os alunos do primeiro ao nono anos, o Governo avançou com o programa educativo #estudoemcasa, que iniciou esta semana. Um programa que permite compensar o facto de muitos alunos não terem computador nem internet em casa. Também nesse sentido, a Águas do Centro Litoral e as Câmaras Municipais estão a mobilizar esforços conjuntos para criar oportunidades para todos e fornecer às famílias mais carenciadas as condições necessárias para as crianças do concelho conseguirem assistir às aulas online.

Até ao final do terceiro período, a AdCL disponibiliza e financia o acesso à internet a 22 famílias de seis municípios da sua área de intervenção, a saber Águeda, Ansião, Ílhavo, Lousã, Penacova e Ourém.

Uma iniciativa que visa a criação de valor e de relacionamento com os seus clientes e com a Sociedade, vinculada ao cumprimento da sua missão e dos valores inerentes à sua Política de Responsabilidade Social e Empresarial.

AdCL integra 3 subsistemas de abastecimento existentes

Está em curso empreitada de reabilitação das infraestruturas existente em Vila Cova de Alva, Alqueve e Pomares que visam garantir água de qualidade e quantidade

A AdCL iniciou a empreitada de integração de três (3) subsistemas de abastecimento de água (SAA), em Arganil, nomeadamente o de Vila Cova de Alva, o de Alqueve e o de Pomares, cujo objetivo é a reabilitação das infraestruturas existentes. Esta empreitada representa um valor total de perto de 2,75 milhões de euros e tem um prazo de execução de 545 dias.

O subsistema de Vila Cova de Alva é composto, atualmente, por uma captação/estação elevatória, uma conduta elevatória de água bruta, uma ETA e um reservatório de água tratada, apresentando todas estas infraestruturas um elevado estado de degradação e falta de capacidade de captação de água.

No âmbito desta empreitada, serão, assim, reabilitados o poço de captação e respetivos grupos elevatórios, ampliada a capacidade da captação através de novos drenos, substituída a conduta elevatória (cerca de 1 700m de comprimento) de água bruta, reconfigurada a ETA e reabilitado o reservatório.

A ETA, dimensionada para um caudal de ponta de 24L/s, ficará preparada para fornecer uma qualidade de água tratada, capaz de obedecer aos valores definidos no Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de Agosto, relativa à qualidade das águas destinadas para consumo humano.

O novo subsistema de água estará preparado para servir as povoações atualmente atendidas, nomeadamente a totalidade da União das Freguesias de Vila Cova de Alva e Anceriz, parte da União das Freguesias de Coja e Barril do Alva, da Freguesia de Benfeita e da União das Freguesias de Cerdeira e Moura da Serra, todas do Município de Arganil assim como uma pequena povoação da Freguesia de Lourosa, Concelho de Oliveira do Hospital, representando um total de 2.850 habitantes, no ano horizonte (30 anos). O volume a fornecer será em média, no horizonte de projeto, de 1.500 m3/d.

O subsistema de Alqueve é composto por uma captação/estação elevatória, uma conduta elevatória, uma mina e uma nascente e respetiva conduta. Todas as condutas entregam num único reservatório municipal. O tratamento atual neste subsistema resume-se à adição de cloro diretamente no poço de captação ou à saída da mina. Também este SAA apresenta um estado de degradação intermédio e uma reduzida eficiência/fiabilidade de tratamento da água bruta.

No âmbito desta empreitada, será reabilitada a captação, construída uma nova ETA e duas novas condutas elevatórias de água tratada, ampliando a cobertura do SAA.

A ETA, atualmente dimensionada para um caudal de ponta de 6,9L/s, ficará preparada para fornecer uma água de qualidade, respeitando o Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de Agosto.

A ETA terá duas estações elevatórias, uma eleva para o Reservatório de Alqueve e a outra para o reservatório de Folques. A conduta elevatória para o primeiro reservatório será integralmente substituída (cerca de 2 500m) e será criada uma nova conduta para o segundo (com cerca de 1 600m).

Este subsistema irá abastecer as povoações de parte da União das Freguesias de Coja e Barril do Alva e das Freguesias de Folques e Arganil, todas do Município de Arganil, representando, no ano horizonte (30 anos), cerca de 685 habitantes. O volume a fornecer será em média, no ano horizonte de projeto, de 260m 3/d.

O subsistema de Pomares é composto por uma captação/estação elevatória, uma conduta elevatória, e uma ETA.

O tratamento atual neste subsistema é realizado através de cascata, leitos de brita e desinfeção. Globalmente este SAA apresenta um estado de degradação intermédio nas suas infraestruturas.

No âmbito desta empreitada, será reabilitada a captação e reconfigurada a ETA.

A ETA existente, dimensionada para um caudal de ponta de 2,8L/s, ficará também preparada para fornecer uma qualidade de água tratada, capaz de obedecer aos valores definidos no Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de Agosto.

A ETA entregará a água graviticamente para o reservatório Municipal.

O subsistema de Pomares servirá as povoações atualmente atendidas, isto é, a maioria da Freguesia de Pomares do Município de Arganil, representando, no ano horizonte (30 anos), um total de 490 habitantes. O volume a fornecer será em média, no horizonte de projeto, de 95m3/d.

A empreitada foi adjudicada ao consórcio constituído pelas empresas AMBIÁGUA – Gestão de Equipamentos de Água, S.A. e Alberto Couto Alves, S.A.., cuja fiscalização fica a cargo da Ambiglobal – Prestação de Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, Lda..